Conflito entre Arábia Saudita e Irã atinge cristãos

Houve protestos no Irã, logo após a Arábia Saudita anunciar que executou o clérigo xiita Nimr al-Nimr, uma importante figura do movimento de contestação contra o regime, crítico feroz da família real saudita e responsável por crimes relacionados ao terrorismo. As comunidades xiitas do Oriente Médio estão revoltadas.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, em entrevista coletiva, disse:
Estamos preocupados com a necessidade dos iranianos e sauditas de reduzirem as tensões da situação. Pedimos a todos os lados que mostrem maior moderação para não inflamarem mais ainda as tensões na região.
Segundo a imprensa internacional, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, declarou que a Arábia Saudita sofrerá uma ‘divina vingança’ pela execução.
A tensão entre os dois países está passando pela pior fase em 30 anos e isso pode atingir ainda mais os cristãos, já que a única opção de religião é a muçulmana. Os árabes querem impor o islamismo (sunita) e os iranianos determinam a lei sharia (xiita), ou seja, não há espaço algum para o cristianismo nessas regiões. Aqueles que não compram a guerra de um desses lados são considerados infiéis e dignos de morte, da pior maneira possível. Ore pelos cristãos que vivem nessas áreas de conflito, para que permaneçam fieis ao Senhor Jesus e que suas vidas sejam poupadas.

Fonte: missões portas abertas